Exército dos EUA: Uma falta de máquinas-ferramenta restringe a produção de munição

Os EUA têm matérias primas suficientes, mas o maquinário pesado usado para a manufatura de munição de artilharia não é fácil de ser adquirido.
Por SAM SKOVE
3 de março de 2023
Uma falta de maquinário industrial limita a capacidade dos EUA de acelerar as suas transferências de munição para a Ucrânia, declarou o mais graduado oficial responsável pela compra de armamento no Exército americano.
O longo prazo necessário para a aquisição de máquinas industriais “é atualmente o principal responsável pela nossa dificuldade de atingir um aumento no ritmo de entregas,” disse Douglas Bush, vice-secretário do US Army para Aquisição, Logística e Tecnologia. “Estas máquinas são do tamanho de prédios, não se pode, simplesmente, comprar uma delas numa loja de bairro.”
A produção de munição de artilharia nos EUA e nos países aliados passou a ser um dos problemas principais de se suprir para a Ucrânia, um conflito que consome milhares de obuses por dia na luta contra os invasores russos. “A Ucrânia pode vir a perder a guerra se não receber munição suficiente”, declarou em 20 de fevereiro o responsável pela política exterior da União Europeia, Josep Borrel.
A obtenção das matérias primas pode se tornar um problema, mas ainda não é, disse Bush em um evento promovido pelo Centro para os Estudos Estratégicos e Internacionais (CSIS).
Os EUA já mantêm grandes estoques de algumas matérias primas, como os produtos químicos precursores usados para fabricar para explosivos, falou Bush. Mas o quanto os EUA devem estocar de outras matérias primas seria ainda uma questão em aberto. “A questão realmente é a estocagem”, falou Bush, “se tratando de uma questão de quando dinheiro você pode dispor pra isso.”
Os EUA não têm qualquer restrição de matérias primas necessárias para fazer munição de artilharia, adicionou Bush, citando estoques mais do que suficiente.
Bush também apontou que a produção nos países aliados tira parte do fardo dos ombros dos EUA, citando o interesse polonês de criar uma linha de produção do míssil anti-tanque Javelin e do interesse australiano na fabricação local de munições de precisão.
Os EUA já forneceram grandes quantidades de munição de 155mm para a Ucrânia, mandando mais de um milhão de obuses de 155mm, segundo uma pesquisa realizada por Mark Cancian, consultor sênior no Center for Strategic and International Studies. Esta munição será utilizada nos obuseiros doados à Ucrânia pelos EUA e por seus aliados da OTAN. Na sexta-feira o Departamento de Defesa anunciou outro lote de auxílio dos EUA para a Ucrânia no qual estão incluídos obuses de 155mm.
Autoridades dos EUA disseram em abril de 2022 que a produção de obuses de 155mm estava sendo incrementada, sendo este o calibre mais comum nos canhões fornecidos à Ucrânia pelos EUA e por seus aliados. A produção está prevista para alcançar o patamar de 20,000 obuses por mês na primavera de 2023, e de 40,000 por mês em 2025, prometeu a secretária do Exército Christine Wormuth.

Assim mesmo essa taxa pode não ser o suficiente pra atender à Ucrânia e manter os estoques dos EUA preparados para outras guerras ao redor do mundo. “Isso pode vir a se transformar numa crise,” escreveu Cancian.

Fonte: https://www.defenseone.com/threats/2023/03/us-artillery-production-ukraine-limited-lack-machine-tools-army-official-says/383615/